Imagem com a data do evento: 7 a 10 de Dezembro, com entrada franca

4º Curta Brasília

A quarta edição do Festival Curta Brasília aconteceu entre os dias 17 e 20 de dezembro de 2015, no Cine Brasília e em circuito itinerante no DF, firmando a marca de diversidade e qualidade junto ao público, comunidade artística e imprensa. O Festival se diferencia pelo diálogo com as novas tecnologias, temáticas atuais em sua programação de filmes e interação com outras artes e linguagens.

Durante 4 dias, foram exibidos 122 curtas-metragens, divididos em 02 mostras competitivas, uma com 15 videoclipes, e outras 07 mostras especiais, que contaram com filmes nacionais e estrangeiros. Aproximadamente 7 mil pessoas prestigiaram essa intensa programação com quase 100 horas de atividades. Os vencedores, indicados por júri oficial e pelo voto popular, receberam R$ 17 mil em prêmios, o maior valor do evento até hoje.

Além de ser uma importante vitrine do cinema de curta-metragem, o projeto se consolida no calendário cultural da cidade e do país, agregando áreas de economia criativa (Feira Pop Up com produtos de artistas e empreendedores locais e Feira de Vinil), gastronomia (Ação Fome de Cinema com pratos exclusivos de chefs-trucks inspirados na programação), educação (circuito de cineclubes, debates e oficinas), acessibilidade (SurdoCine, estrutura adaptada para cadeirantes e atendimento preferencial a idosos), sustentabilidade (CineSolar, cenografia com objetos reciclados e recicláveis).

Os debates Café com Ressaca e Uma cerveja antes do almoço reuniram profissionais da área em torno de temas da cadeia produtiva audiovisual e o mercado do curta-metragem. Os debates trazem um ar mais descontraído, no intuito de aproximar o público e realizadores num bate-papo informal e produtivo.

Acolhendo a forte vocação musical que o festival vem desenvolvendo por meio da mostra Décibeis: videoclipes em alta potência, nesta quarta edição ampliamos a discussão sobre música e cinema por meio do debate Música na tela: videoclipes em foco com a participação de profissionais reconhecidos da música e do audiovisual.


Premiados nas 19 categorias do festival:

Prêmio Oficial da Mostra Competitiva – Júri oficial (Troféu e R$ 6 mil):
Quando parei de me preocupar com canalhas (SP/GO), dirigido por Tiago Vieira

Prêmio Oficial da Mostra Competitiva – Júri popular (Troféu e R$ 6 mil):
Até a China (RJ), dirigido por Marão

Prêmios especiais da Mostra Competitiva:
Melhor fotografia: Ilha (PB)
Melhor som: O teto sobre nós (RS)
Melhor montagem: Enquanto o sangue coloria a noite, eu olhava as estrelas (SP)
Melhor roteiro: Meio fio (DF)
Melhor direção de arte: Égun (MG)

 

Prêmio Oficial da Mostra Decibéis – Júri oficial (Troféu e R$ 2,5 mil)
Fiu fiu (SP) – Filarmônica de Pasárgada – Direção: Thiago Ricarte

Prêmio Oficial da Mostra Decieis – Júri popular (Troféu e R$ 2,5 mil)
Boca da terra (DF) – Sacassaia – Direção: Cícero Fraga

 

Prêmio Direitos da Infância – Instituto Sabin (Troféu para filme da Mostra Calanguinho que melhor contemple questões relacionadas aos direitos da infância)
Entrevista de emprego (PR), dirigido por Thiago Penteado

 

Prêmio Cine França Brasil (Viagem à França, oferecida pela Embaixada da França no Brasil, para um representante de filme escolhido por comissão)
Enquanto o sangue coloria a noite, eu olhava as estrelas (SP), dirigido por Felipe Arrojo Poroger

 

Prêmio Brazucah (R$ 800 e inclusão de filme da mostra competitiva em um dos projetos itinerantes da produtora Brazucah em 2016)
Bravura (SC), dirigido por Leonardo Minozzo

 

Prêmio Aquisição PlayTV

Três videoclipes serão escolhidos por comissão para exibição no programa Udigrudi e o vencedor da mostra Decibéis entrará na programação regular da PlayTV em 2016.

Vencedores:
Fiu fiu (SP) – Filarmônica de Pasargada, dirigido por Thiago Ricarte
Tic tac (SP) – O Terno, dirigido por Amnésia Filmes
José, fiquei sem saída (SP) – Atalhos, dirigido por José Menezes e André Dip

 

Troféu Cinememória

Para o melhor documentário do 4º Curta Brasília, oferecido pelo cineasta Vladimir Carvalho e pela Fundação Cinememória.

Entre céus (AL), dirigido por Alice Jardim

 

Troféu UCDF

Para o filme que melhor contribui para disseminar o espírito cineclubista, oferecido pela União dos Cineclubes do DF e Entorno. Comissão: Flávia Felipe, Cleiton Costa e Leonardo Barbosa (cineclubistas).

No devagar depressa dos tempos (SP), dirigido por Eliza Capai

 

Troféu ABCV

Para filme escolhido pela Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo. Comissão: Adriana Vasconcelos (cineasta), Péterson Paim (cineasta), Rafaella Rezende (produtora).

Afonso é uma Brazza (DF), dirigido James Gama e Naji Sidki

 

Prêmio Cult

Bolsa para dois cursos de cinema no Espaço Cult em 2016 e 50 locações na Cult Vídeo para representante de filme do DF escolhido por comissão da Cult Vídeo.