Imagem com a data do evento: 7 a 10 de Dezembro, com entrada franca

MOSTRA SURDOCINE

15 dezembro (sábado), às 10h
Duração: 120 minutos

Uma mostra com filmes que abordam vivências das pessoas surdas e propõem um intercâmbio de percepções e experiências entre o público surdo e o ouvinte. Em sua quarta edição, a Surdocine apresenta os quatro episódios da primeira série bilíngue (português e Libras), Crisálida.

Cena do curta Crisálida

Crisálida

(SC) 2018. Fic., 120 min 14 anos

Dir. Serginho Melo. Com Ângela Eiko, Miriam Royer, Cleiton César Ribeiro, Harry Adams, Thiago Willian Rossi.

Episódio 1: Os surdos também amam
Episódio 2: Boneca que fala
Episódio 3: O direito de ser surdo
Episódio 4: Lado B

Num universo onde o som não existe, jovens surdos enfrentam os desafios de uma sociedade desenhada apenas para ouvintes. Ao retratar situações familiares, sociais e psicológicas vividas por surdos, Crisálida cruza narrativas e personagens – e evidencia como o contato com a língua de sinais é o agente transformador dos envolvidos num universo visual. Conflitos de ética na atuação de tradutores e intérpretes da língua de sinais; a cultura impregnada de preconceitos e aparentes restrições prometem modificar a percepção tradicional sobre os surdos. Crisálida é realista, polêmica e ousa ao empregar uma linguagem bilíngue (Libras e português) no conteúdo ficcional de entretenimento.

Crisálida é a etapa na qual a lagarta fica envolvida no casulo até transformar-se em borboleta. É uma metáfora, pois o surdo quando não sabe Libras vive num casulo silencioso e solitário. Após aprender a língua de sinais, a pessoa rompe sua crisálida e começa a entender o mundo e a comunicar-se.