Imagem com a data do evento: 7 a 10 de Dezembro, com entrada franca

A mostra propõe um intercâmbio de percepções com produções (todas legendadas em português) que abordam vivências das pessoas surdas. Em sua terceira e mais internacional edição, a mostra apresenta curtas-metragens da Inglaterra, Uruguai, França e Brasil. Após a sessão, o público é convidado para um debate, em libras e português, para surdos e ouvintes, sobre os filmes exibidos.

Cena do curta Dois mundos

Dois mundos

(RJ) 2014. Doc., 16 min Livre

Dir. Thereza Jesseuroun.

Para os surdos, existem dois mundos: o mundo do silêncio e o mundo sonoro. Este filme é sobre a experiência com o mundo sonoro dos surdos que transitam entre os dois mundos.

Cena do curta Ouça meus sinais (Hear my signs)

Ouça meus sinais (Hear my signs)

(Inglaterra) 2016. Fic., 13 min Livre

Dir. Floyd C. Konde.

Uma jovem e solitária surda faz amizade com outro jovem surdo, mas nem tudo é o que parece.

Cena do curta Sinais de um caso (Signs of an affair)

Sinais de um caso (Signs of an affair)

(Inglaterra) 2016. Fic., 28 min Livre

Dir. Louis Neething.

Uma comédia de humor negro sobre Flora, que suspeita que seu marido há 21 anos está tramando algo.

Cena do curta Mundinho (Little world)

Mundinho (Little world)

(Inglaterra) 2012. Ani., 8 min Livre

Dir. Becky Bailey.

A vida de uma jovem surda em um internato vitoriano. Criado por animadores de várias partes do mundo, Mundinho foi comparado ao clássico animado Persépolis e ganhou prêmios por sua narrativa experimental.

Cena do curta Campo

Campo

(Uruguai) 2012. Fic., 10 min Livre

Dir. Natalia Espasandín.

De forma singela, o curta-metragem apresenta um causo contado entre amigas surdas ao redor de uma lareira.

Cena do curta Da favela para a cena (Des favelas à la scène)

Da favela para a cena (Des favelas à la scène)

(França) 2017. Doc., 27 min Livre

Dir. Béatrice Bakhti.

O Brasil foi o país homenageado na edição de 2017 do Festival Clin d’oeil (“piscada de olho”, em francês), evento que reúne, a cada dois anos, milhares de pessoas surdas de todo o mundo na cidade de Reims. A partir da visita de um grupo de teatro composto por atores surdos brasileiros, o documentário visita a comunidade de Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, para conhecer a realidade do local de onde vieram os atores. Uma coprodução França-Suiça