Imagem com a data do evento: 7 a 10 de Dezembro, com entrada franca

16 de dezembro, às 10h

No ano em que o curso Cinema e Mídias Digitais do IESB comemora uma década, o Curta Brasília realiza pela segunda vez uma mostra com curtas-metragens produzidos por alunos da instituição – um importante estímulo à produção universitária local. A programação é formada por curtas-metragens e videoclipes. Júri popular e comissão escolhem os melhores de cada categoria, que recebem troféus.

Cena do curta Última – Moabe

Última – Moabe

(DF) 2017. Fic., 4 min Livre

Dir. Paulo Ottoni.

Um processo demasiado depressivo, exagerado e fugaz de um fim de relacionamento.

Cena do curta Oxy – Pride

Oxy – Pride

(DF) 2017. Fic., 4 min Livre

Dir. Gabriel Sudré.

Uma garota que não sabe a própria identidade está perdida e tenta encontrar a chave para casa. No meio desta trajetória, pessoas a perseguem e a tiram da realidade.

Cena do curta Pátria armada – Zamaster

Pátria armada – Zamaster

(DF) 2017. Fic., 4 min Livre

Dir. Lyanna Soares.

Um morador de rua observa o caos em uma manifestação política na Esplanada dos Ministérios. Sem rumo, encontra uma pessoa que o ajuda a melhorar sua situação, dando roupas novas e uma oportunidade de obter renda no projeto social de uma revista de Brasília.

Cena do curta O sol da seca

O sol da seca

(DF) 2017. Fic., 16 min Livre

Dir. Erica Oliveira.

Caio, um jovem de 28 anos, leva uma vida sem graça ao lado de sua namorada, Renata, até que ela resolve viajar para o exterior. Caio se vê sozinho por semanas e então conhece Guilherme, um garoto encantador, gay e que o apresenta a seu mundo. Caio e Guilherme se apaixonam aos poucos.

Cena do curta O que vão dizer de nós?

O que vão dizer de nós?

(DF) 2017. Fic., 14 min Livre

Dir. Nabia Lima.

Em tempos de desapego, amar e demonstrar afeto parece inimaginável, imagina amar alguém do mesmo sexo e não poder demostrar carinho? Este documentário é para todos aqueles que acredita que a única regra no amor é não ter regras.

Cena do curta Nas asas do traçado

Nas asas do traçado

(DF) 2017. Fic., 7 min Livre

Dir. Laura Catharina.

Julia é uma roteirista que se depara com um bloqueio criativo às vésperas de entregar um trabalho. A misteriosa Luana aparentemente sabe sobre a vida de Júlia. O encontro das duas as leva a dar um passeio pelas quadras de Brasília, onde poderão ver inspirações em lugares rotineiros.

Cena do curta Desencontro marcado

Desencontro marcado

(DF) 2017. Fic., 7 min Livre

Dir. Felipe Cavalcante Fialho.

Jonas é um nerd apaixonado por Julie, sua colega de trabalho. Decidido a enfrentar a vergonha, Jonas marca um encontro com ela. No entanto, o caminho para chegar ao local marcado não será habitual.

Cena do curta Frio – San Lunes

Frio – San Lunes

(DF) 2017. Fic., 5 min Livre

Dir. Marina Lima.

Todas as formas de amor são possíveis. Um trisal se beija, uma menina se masturba e um casal gay dança. No final, todos estão juntos em perfeita sintonia.

Cena do curta Dançarina de Brasília – Pedro Quadros

Dançarina de Brasília – Pedro Quadros

(DF) 2017. Fic., 3 min Livre

Dir. Rosa Morbach.

O videoclipe segue as dificuldades e anseios de uma dançarina buscando atenção e reconhecimento.

Cena do curta Costal

Costal

(DF) 2017. Fic., 11 min Livre

Dir. Ariel Pirangy.

O filme interativo retrata um jogo intenso de caça, fuga e combate entre uma habilidosa detetive e um sanguinário assassino. Costal nos coloca na pele da detetive em uma situação de extremo perigo: ela acaba de acordar aprisionada por seu algoz, que se delicia a cada momento antes de assassiná-la.

Cena do curta Asé Omanõmo – Ronchi

Asé Omanõmo – Ronchi

(DF) 2017. Fic., 9 min Livre

Dir. Matheus Ronchi.

Um espirito da floresta, representado por uma índia, e um espirito da cidade, representado por um homem, entram em luta por território quando o homem quer transformar a floresta em cidade.

Cena do curta Ao entardecer

Ao entardecer

(DF) 2016. Fic., 13 min Livre

Dir. Matheus Velloso.

Dois irmãos, Carol e Davi, são levados a morar precariamente com sua tia, uma senhora que sempre viveu sozinha e que não tem muitas condições de cuidar deles. Os irmãos cuidam um do outro, contando com a ajuda de um amigo imaginário, um monstro grande e peludo que vai protegê-los e ensiná-los a superar as dificuldades com ternura e esperança.

Cena do curta Amizade de Ellen

Amizade de Ellen

(DF) 2015. Fic., 25 min Livre

Dir. Jéssica Alencar e João Rabelo.

Ellen, tímida e solitária, vê em Camila uma forma de exteriorizar seus sentimentos mais profundos e impulsivos. Camila sempre aparece nos momentos em que Ellen está só, mas Camila é bem crível para Ellen – bem como para o espectador, na maior parte do filme – e ela acredita na existência dela.