CICLOS E CONEXÕES

Vivências audiovisuais e novos rumos

O Curta Brasília chega à 8ª edição trazendo uma programação atenta aos ciclos e às conexões da vida, promovendo a empatia, evidenciando o que há de comum na diversidade. O número 8 na horizontal alude ao símbolo do infinito, onde ciclos se conectam, início e fim se encontram, movimentos contínuos e pontos de partida são recriados pela repetição. Assim, construímos uma memória coletiva e novos sentidos da atualidade, do passado e de pensar o porvir. A programação desta edição propõe olhar para múltiplas subjetividades que se conectam no tempo presente, por semelhanças espaciais e humanas. Filmes que abrem novos caminhos através de outros pontos de partidas, em forma ou tema, a partir do novo ou do retorno ao passado, em busca de brechas na história, evidenciando redescobrimentos e reparações necessárias para encerrar e/ou iniciar um ciclo.

A programação, de 12 a 15 de dezembro no Cine Brasília, conta mais de 80 curtas-metragens distribuídos em nove mostras. Além dos filmes brasileiros, estão presentes obras da Argentina, Bélgica, Chile, Colômbia, Cuba, Espanha, Equador, França, Holanda, Jamaica, México, Peru e Suíça. Para a Mostra Nacional, foram selecionados 30 filmes que retratam amplamente o país, divididos em 6 programas que abraçam diferentes propostas estéticas, conectando-as à pluralidade de conteúdos análogos.

Para celebrar a sexta-feira 13, a Mostra Medo e Delírio em Brasília toca no universo do terror para debater temas fictícios ou reais. Já a Mostra Surdocine exibe curtas com acessibilidade, alguns protagonizados por atores e atrizes surdos. A Mostra Tesourinha traz um recorte da produção cinematográfica recente do Distrito Federal. A tradicional Mostra Decibéis apresenta 14 videoclipes que vibram a variedade dos gêneros musicais. A Mostra Calanguinho presenteia o público infantil com 1 videoclipe e 3 curtas.

Duas mostras internacionais somam 14 filmes premiados oriundos de 11 países, que abarcam as múltiplas realidades com seus diferentes contrastes e vínculos. Uma novidade desta edição é a estreia da Mostra Curtame Mucho, que apresenta um panorama Latinoamericano e Caribenho rico em paisagens, crenças, culturas e histórias que, muitas vezes, se cruzam com as nossas. Por isso, escolhemos como homenagem desta edição esse território e suas conexões. Já a Mostra Europa em Curtas expõe a importância do diálogo e da empatia para aproximar as pessoas. Em situações de ausência de entendimento ou conciliação, surge a necessidade de interromper os ciclos para abertura de novos caminhos. Nesse sentido, a Mostra Provocações, além de reforçar reflexões já presentes ao longo de toda a programação, enfatiza questões urgentes e polêmicas a fim de ampliar o debate.

Além de tudo isso, o Curta Brasília promove pelo quarto ano consecutivo, na área externa do Cine Brasília, o Espaço CVRTA XR, voltado para experiências em realidade virtual, com sessões de filmes, expandindo diálogos sobre tecnologia e estimulando o público a interagir com narrativas imersivas, cinema e games. Em sua segunda edição, o Fórum XR abre espaço para um amplo debate, trazendo a temática Políticas da Natureza, ligada às narrativas imersivas, além de como a tecnologia pode servir ao meio ambiente.

Apesar dos filmes terminarem, não há dúvidas de que eles continuam reverberando, tanto nas pessoas que os criaram quanto nas que foram por eles atravessadas, evidenciando a importância de projetar a produção contemporânea nacional e internacional no cotidiano, espelhando o que está sendo feito, debatido e expressado para estimular uma maior conexão entre as pessoas, no tempo do hoje.

Convidamos você para mais esse encontro com o Curta.

Equipe Festival Curta Brasília