4° Curta Brasília

A quarta edição do Festival Curta Brasília aconteceu entre os dias 17 e 20 de dezembro de 2015, no Cine Brasília e em circuito itinerante no DF, firmando a marca de diversidade e qualidade junto ao público, comunidade artística e imprensa. O Festival se diferencia pelo diálogo com as novas tecnologias, temáticas atuais em sua programação de filmes e interação com outras artes e linguagens.

Durante 4 dias, foram exibidos 122 curtas-metragens, divididos em 02 mostras competitivas, uma com 15 videoclipes, e outras 07 mostras especiais, que contaram com filmes nacionais e estrangeiros. Aproximadamente 7 mil pessoas prestigiaram essa intensa programação com quase 100 horas de atividades. Os vencedores, indicados por júri oficial e pelo voto popular, receberam R$ 17 mil em prêmios, o maior valor do evento até hoje.

Além de ser uma importante vitrine do cinema de curta-metragem, o projeto se consolida no calendário cultural da cidade e do país, agregando áreas de economia criativa (Feira Pop Up com produtos de artistas e empreendedores locais e Feira de Vinil), gastronomia (Ação Fome de Cinema com pratos exclusivos de chefs-trucks inspirados na programação), educação (circuito de cineclubes, debates e oficinas), acessibilidade (SurdoCine, estrutura adaptada para cadeirantes e atendimento preferencial a idosos), sustentabilidade (CineSolar, cenografia com objetos reciclados e recicláveis).

Os debates Café com Ressaca e Uma cerveja antes do almoço reuniram profissionais da área em torno de temas da cadeia produtiva audiovisual e o mercado do curta-metragem. Os debates trazem um ar mais descontraído, no intuito de aproximar o público e realizadores num bate-papo informal e produtivo. Acolhendo a forte vocação musical que o festival vem desenvolvendo por meio da mostra Décibeis: videoclipes em alta potência, nesta quarta edição ampliamos a discussão sobre música e cinema por meio do debate Música na tela: videoclipes em foco com a participação de profissionais reconhecidos da música e do audiovisual.

 

Premiados nas 19 categorias do festival

MOSTRA COMPETITIVA

Júri oficial – Troféu e R$ 6 mil
Quando parei de me preocupar com canalhas(SP/GO), dirigido por Tiago Vieira

Júri popular -Troféu e R$ 6 mil
Até a China (RJ), dirigido por Marão

Prêmios especiais:

Melhor fotografia: Ilha (PB)

Melhor som: O teto sobre nós (RS)

Melhor montagem: Enquanto o sangue coloria a noite, eu olhava as estrelas (SP)

Melhor roteiro: Meio fio (DF)

Melhor direção de arte: Égun (MG)

DECIBÉIS – MOSTRA DE VIDEOCLIPES

Júri oficial – Troféu e R$ 2,5 mil
Fiu fiu (SP) – Filarmônica de Pasárgada – Direção: Thiago Ricarte

Júri popular – Troféu e R$ 2,5 mil
Boca da terra (DF) – Sacassaia – Direção: Cícero Fraga

Prêmio Direitos da Infância – Instituto Sabin

Troféu para filme da Mostra Calanguinho que melhor contemple questões relacionadas aos direitos da infância.
Entrevista de emprego (PR), dirigido por Thiago Penteado

Prêmio Cine França Brasil – Viagem à França, oferecida pela Embaixada da França no Brasil, para um representante de filme escolhido por comissão.
Enquanto o sangue coloria a noite, eu olhava as estrelas (SP), dirigido por Felipe Arrojo Poroger

Prêmio Brazucah – R$ 800 e inclusão de filme da mostra competitiva em um dos projetos itinerantes da produtora Brazucah em 2016.
Bravura (SC), dirigido por Leonardo Minozzo

Prêmio Aquisição PlayTV – Três videoclipes serão escolhidos por comissão para exibição no programa Udigrudi e o vencedor da mostra Decibéis entrará na programação regular da PlayTV em 2016.
Vencedores:

Fiu fiu (SP) – Filarmônica de Pasargada, dirigido por Thiago Ricarte
Tic tac (SP) – O Terno, dirigido por Amnésia Filmes
José, fiquei sem saída (SP) – Atalhos, dirigido por José Menezes e André Dip

Troféu Cinememória – Para o melhor documentário do 4º Curta Brasília, oferecido pelo cineasta Vladimir Carvalho e pela Fundação Cinememória.
Entre céus (AL), dirigido por Alice Jardim

Troféu UCDF – Para o filme que melhor contribui para disseminar o espírito cineclubista, oferecido pela União dos Cineclubesdo DF e Entorno. Comissão: Flávia Felipe, Cleiton Costa e Leonardo Barbosa (cineclubistas).
No devagar depressa dos tempos (SP), dirigido por Eliza Capai

Troféu ABCV – Para filme escolhido pela Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo. Comissão: Adriana Vasconcelos (cineasta), Péterson Paim (cineasta), Rafaella Rezende (produtora).
Afonso é uma Brazza (DF), dirigido James Gama e Naji Sidki

Prêmio Cult – Bolsa para dois cursos de cinema no Espaço Cult em 2016 e 50 locações na Cult Vídeo para representante de filme do DF escolhido por comissão da Cult Vídeo.

FESTIVAL CURTA BRASÍLIA 2015 em números

  • 872 filmes inscritos de 25 Estados + DF
  • 121 filmes selecionados de 12 Estados + DF
  • 82 filmes inéditos em Brasília
  • 06 programas com mostras competitivas
  • 07 mostras paralelas
  • 03 mostras internacionais
  • 01 mostra infantil
  • 08 mostras em cineclubes e escolas do DF
  • 03 workshops
  • Mais de 1800 minutos de exibição
  • Média 7.000 espectadores